Geral

Irmão produz vídeo para homenagear Aline Gobbi

Maurício Gobbi mantém viva a memória da artista, que morreu em Florianópolis há três anos

Créditos: Lucas George Wendt
- Canal Arte e Vida por Aline Mariê Gobbi/Yotube/reprodução

Lajeado - Superar a perda de alguém querido não é fácil. Ao mesmo tempo, o ser humano é capaz de desenvolver estratégias para levar a vida adiante e lidar com a perda. Maurício Gobbi é irmão de Aline Mariê Gobbi, vítima de uma acidente de trânsito em Florianópolis (SC) em março de 2014. Ele sempre teve o sonho de se envolver com a arte da irmã, porém as circunstâncias tiraram a vida de Aline muito jovem, distanciando os dois. Desde então, Maurício desenvolve meios para manter vivos o trabalho e a memória de Aline.

Neste dia 12 de outubro Aline estaria de aniversário, completando 31 anos. Com a intenção de homenagear a irmã, Maurício lhe preparou um tributo em forma de vídeo com o envolvimento de pessoas próximas.

"A ideia surgiu da vontade de estar junto", comenta. Aline era estudante de Artes Visuais na Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc) e uma pessoa muito ativa na comunidade lajeadense enquanto morou na cidade. Ela participou das bandas Feitoria e Madames do Rock, era envolvida com movimentos artísticos e com a causa animal e planejava ser professora. Quando morreu, morava em Florianópolis há 9 anos.

Maurício conta que os pais ainda vivem no Rio Grande do Sul, e que ele e a irmã se mudaram para Florianópolis, onde permaneceu após a partida de Aline. Quatro anos mais velha que Maurício, ela era um exemplo para o ele. "A minha grande inspiração foi a irmã", diz. Os reflexos disso podem ser percebidos na forma como ele registra sua admiração por Aline devotando parte de sua vida a propagar o trabalho desenvolvido por ela.



A ideia da homenagem, conforme Maurício, partiu da vontade de ter um registro da irmã para que as pessoas pudessem lembrar dela. "Tocamos poucas vezes juntos", diz. Durante a vida, Aline, que desenvolvia trabalhos com fotografia, pintura e estampas de camisetas, chegou a expor em Lajeado.

Sobre o tributo, vídeo em que aparece tocando, Maurício revela que o material levou cerca de dez meses de produção, período em que ele diz ter estado imerso no trabalho e na obra deixados por Aline. "Sempre me senti muito conectado", fala. "A minha casa é forrada pelas obras dela". O vídeo também reúne gravações dos desenhos e pinturas deixados por Aline.

O irmão atualiza a fanpage que Aline havia criado no Facebook para divulgar seu trabalho e, além disso, criou uma conta no Instagram onde faz postagens em datas especiais. Ela deixou muito material entre desenhos e pinturas, além de fotos de todas as obras, pois Aline, conforme Maurício, fazia questão de fotografar todas suas produções. Ela orientava pela música muito das coisas que produzia, evocando bandas e personagens importantes para sua vida nas estampas das camisetas, por exemplo.

Maurício tem 28 anos, é professor de Inglês e violão e estuda Biologia. "Como irmão mais novo, a gente sempre quer estar junto", diz. Ele procura parceiros para desenvolver um projeto de curadoria do trabalho deixado por Aline. "Quero que o mundo inteiro veja o que ela fez", fala.

Comentários

VEJA TAMBÉM...