Colunistas

As palavras na vida social

Não temos como saber de antemão os rumos que o sentido de uma palavra tomará, e a esfera pública se torna o campo em que a disputa pelo sentido acontece.


Esses dias li numa rede social de internet (RSI) um post de uma pessoa reclamando do uso repetido - até exaustivo - da palavra "empoderamento", principalmente o tal "empoderamento feminino". A palavra estaria banalizada, e qualquer coisa poderia ser considerada uma atitude de empoderamento, desde campanhas contra o assédio sexual até o uso do corpo por cantoras da música pop.

Bom, acontece que as palavras têm história. A palavra "empoderamento" surgiu no âmbito de alguns movimentos sociais de minorias (mulheres, negros) há bem mais tempo, mas só há pouco encontrou condições para alcançar o linguajar do dia a dia, condições essas potencializadas pelas RSI. Se a palavra tinha um sentido particular quando foi cunhada, não há nada que garanta que esse sentido não vá se alargar ou se deslocar. Ela vai ser usada e, possivelmente, banalizada, gerando reações tanto de quem não gosta da palavra (em geral porque não gosta da ideologia que ela veicula) quanto daqueles que querem preservar seu sentido original.

Não temos como saber de antemão os rumos que o sentido de uma palavra tomará, e a esfera pública se torna o campo em que a disputa pelo sentido acontece. Alguns exemplos: uma palavra em desuso, como "presidenta", foi retomada, há algum tempo, para marcar determinada posição política. A palavra "fascista" tem sido usada, independentemente do seu sentido original, como uma arma de filme de bang-bang: quem sacá-la primeiro contra o adversário leva a melhor. Atualmente, assistimos à discussão pelos limites de sentido entre "direitos" e "privilégios". Assim, é interessante observarmos as disputas pelas palavras como forma de compreendermos as disputas entre grupos e ideologias. Então, fiquemos atentos, pois, quando começar - oficialmente - a campanha eleitoral, teremos uma verdadeira batalha por esses sentidos, que poderão ser determinantes nos rumos políticos do país.


Comentários

VEJA TAMBÉM...